Falta de chuva atrasa plantio da soja no oeste da Bahia

3 Min Read

O plantio da soja para a safra 2023/24 segue atrasado no Oeste da Bahia. De acordo com o boletim semanal da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), o avanço da atividade que está em 81,5%, depende de aspectos climáticos, onde há regiões que ainda não foi possível concluir a operação.

Segundo a Aiba, o plantio da oleaginosa segue em operação lenta quando comparado com o mesmo período da safra anterior que registrava 93%.

A instituição prevê para a safra 2023/24, uma área planta de 2 milhões de hectares e uma produção de cerca de 8 milhões de toneladas.

As dificuldades estão lastreadas de acordo com as zonas de distribuição de precipitação
das microrregiões do Oeste da Bahia.

Até o momento, o mês de dezembro acumula uma média de 31 mm. A média histórica de acordo com o boletim é de 205 mm.

A associação também informou que a estiagem prolongada em determinadas regiões está preocupando os agricultores, onde o replantio já é realidade de muitos, devido à
má distribuição pluviométrica nos municípios oestinos.

No último final de semana, houve uma breve intensificada na operação feita no “pó”, a fim de aproveitamento de janela climática.

De acordo com levantamentos e amostragens de campo, a Aiba mensurou a necessidade de replantio em aproximadamente 14% das áreas.

Boletim aiba, plantio da soja, replantio, oeste da bahia
Foto: Divulgação/Aiba

No Piauí, de acordo com a Aprosoja do estado, o plantio da soja está em 70%. Por lá, a falta de chuva também tem sido um problema para o progresso do plantio.

Outras culturas

Para as lavouras de milho, o ritmo da operação segue lento, contudo há regiões onde a operação foi totalmente concluída, com áreas pontuais de replantio.

Já para o algodão, de acordo com a Associação Baiana de Produtores de Algodão (Abapa), o ritmo de semeadura foi intensificado nas últimas semanas e está acima dos 50%.

    Share This Article

    Conteúdo protegido!